Volks Extreme Performance

História da Volkswagen

Comece a entender a Volkswagen como a marca que produziu o carros que mais cativou a população deste planeta em toda a história. O Fusca, uma contração aportuguesada de Volks, exprime a tradução literal de Volkswagen: carro do povo. Não seria preciso mais nada para marcar a ferro a presença da montadora alemã na história.

Mais uma das obsessões de Adolf Hitler, o carrinho chamado de "besouro" era de interesse estratégico do Reich nazista, uma tentativa de uniformização automotora da raça ariana. Assim, com subsídios do governo, a Volkswagen foi criada em 1937. O projeto do primeiro fusca veio de ninguém menos que Ferdinand Porsche.

A Segunda Guerra Mundial, entretanto, primeiro direcionou o automóvel popular para o uso militar, depois tomou da montadora um terço de suas instalações, bombardeadas pelos aliados. A retomada da produção veio de maneira vigiada, quando da ocupação da Alemanha Ocidental pelos vitoriosos aliados.

Durante a década de 50, a marca lançou bases de sua ampliação industrial. Neste período, eram instaladas as primeiras fábricas em caráter multinacional, em países como o Canadá, Brasil e Austrália. Muito à frente de seu tempo, a empresa abriu seu capital ao público comum já em 1960. Na ocasião, apenas 40% de seus papéis continuavam estatais.

A agressividade emergente da Volks foi comprovada no ano seguinte (1961), quando o administrador Heinrich Nordhoff incorporou as concorrerntes Audi, DKW e NSU. O monopólio no segmento de carros pequenos só foi ameaçado no início dos anos 70. Para remediar esta nova situação, o diretor Rufolf Leiding renovou sua frota tradicional e, de quebra, presenteou o mundo com o Passat, em 1973, e o Golf um ano depois. Neste período, o logotipo abrangia quase vinte modelos diferentes.

Mas voltando um pouco no tempo, a Volkswagen já inaugurava sua filial em São Bernardo do Campo-SP em sua primeira expansão ao exterior. Aos brasileiros foi dada a Kombi, que conceitualmente pretendia combinar o grande espaço para pessoas com aquele destinado a cargas. O fantasma deste carro assombra ainda hoje os seus sucessores, apesar das frequentes acusações de falta de estabilidade.

A busca pela superação da concorrência foi sempre uma constante do comportamento da Volks nacional, que lançaria o primeiro Fusquinha em 1959, com a presença do patriarca da indústria nacional, Juscelino Kubitscheck. Os primeiros anos de vida, encravados por Fuscas e Kombis, rendeu à Volks uma coragem empreendedora digna que quem se tornaria logo uma líder em vendas. Surgiriam modelos como Karmann Ghia, Variant, Sedan 1600 (Zé do Caixão) e Karmann-Ghia TC, que invadiriam nossas ruas nas décadas seguintes.

 A bem da verdade, a montadora alemã foi a que melhor percebeu nosso potencial de crescimento econômico (e de consumo, por tabela). Em 1975, antes da febre "Gol", a nossa filial já era a maior fora da Alemanha, e responsabilizava-se por 62% da produção nacional.

Nesse ano, a percepção empresarial dos dirigentes da marca no Brasil apontava a necessidade de "começar a pensar" em não depender apenas dos motores a ar. O Passat acabara de surgir na Alemanha e logo foi trazido pra cá (e junto com ele, o motor AP). Foi outra revolução: em poucas vezes, a indústria brasileira recebeu um automóvel tão avante de seus concorrentes como o médio da Volks refrigerado a água do início dos anos 70.

Sucesso à vontade, surgiria a coragem de lançar produtos próprios, sem ingerência da matriz. Nasceu o Brasília, uma verdadeira luva para quem gostaria de perpetuar as vantagens técnicas do Fusca mas se queixava do pequeno espaço.

Em 1980, o Gol seria lançado com a proposta de criar uma nova família para a Volks. Vieram o Voyage, a Parati e a Saveiro, que selariam a sorte de Fusca, Brasília e Passat. Uma tentativa frustrada de formação de joint venture com a Ford do Brasil duraria de 1987 a 1994, leia-se Autolatina. Sozinha novamente, a Volks enfrentou os anos noventa com a preocupação de entrar o novo milênio da mesma forma que iniciou sua história, forte e combativa.

Texto extraído da revista Motor Show nº 180 - Março/98


   
 

 

Volks Extreme Performance - 1999/2015

Este site é mantido por entusiastas da marca VW, não possuindo
vínculo com a Volkswagen do Brasil e Volkswagen AG.